Cinderelas Literárias

Mulheres espalhadas pelo Brasil, que amam livros principalmente…

Culinária no Acre – Parte 1: BAIXARIA

Por Debora.

Antes de falar da culinária, vamos conhecer um pouquinho do Acre, prometo que serei breve, apesar de ter bastante vontade em discorrer um pouco mais sobre este meu Estado que sofre muito preconceito em nosso Brasil.

Acre – o último Estado a ser anexado ao Brasil, esteve durante alguns séculos em meio à disputas de territórios, que foram desde o séc. XV ao séc. XIX, envolvendo Espanhóis e Portugueses, até que muitos tratados à frente, o Brasil reconheceu o Acre como sendo da Bolívia, só que ele já estava sendo ocupado por colonos brasileiros que vinham explorar a borracha (tô me alongando né? Ok, vou abreviar!). Houve mais disputa territorial. Com armas e diplomacia, o Acre passou a ser brasileiro em 7 de abril de 1904 mas somente foi elevado à categoria de Estado em 1962. (Preciso dizer que a história do Acre é muito rica, e como não consigo me segurar, vou logo dizer que ele foi muito importante durante o Ciclo da Borracha, era responsável por 1/3 do PIB, já calei!)

Agora que sabem que o Acre é guerreiro, preciso dizer que a culinária do acre não é 100% original, nem poderia, já que suas terras eram desocupadas, no muito haviam somente os índios por aqui, em poucas áreas, diga-se de passagem, mas tínhamos muitas seringueiras, de onde se obtinha o ouro branco (látex) e por isso houve um êxodo de imigrantes, que vinham da Região Sul, Nordeste e São Paulo, trazendo suas tradições e influências gastronômicas, então, junto com os alimentos característicos desta região surgiu a nossa culinária, que segundo o Professor Pedro Vicente Costa Sobrinho, compõe mais de 200 pratos.
Duzentas receitas pessoal!!!! Ohhhhh!!!

Como não vou enchê-los de receitas, vou fazer uma trilogia de posts, sendo a primeira um típico café da manhã:

BAIXARIA (Não, não vou começar a xingar!)

Um prato que leva pão de milho, ovo frito, carne moída e uma salada de poucos ingredientes e faz sucesso nas mesas acrianas, principalmente nos mercados onde, após as festas, por volta de 4 horas da manhã, todos se encontram.

Fazendo o pão de milho
Ingredientes:
1/2 pacote de milharina;
1 xícara de água;
sal a gosto;
Modo de preparo:
Coloque a milharina numa vasilha, acrescente a água, misture e reserve por uns 5 minutos, pra massa absorver a água, depois acrescente o sal, misture bem e leve à panela específica pra fazer cuscuz. Depois de 15 minutos deve estar pronto. Seu pão de milho deve ficar fofinho.

Carne moída
300g de carne moída, temperada à gosto e frita.

Salada
01 tomate picado;
01 porção de cheiro verde picado;

Tempere à gosto.

Pronto! Pra finalizar, faça 01 ovo frito.

Sirva o pão de milho, com carne moída, a salada e o ovo frito e deguste desse prato típico.

debbie

 

Se você tiver curiosidade sobre restaurantes e comidas do Acre, pode acompanhar o Grupo Gastronomia no Acre, no Facebook.

Anúncios

Um comentário em “Culinária no Acre – Parte 1: BAIXARIA

  1. Culinária no Mundo
    31/05/2016

    Muito legal. Adoro a culinária da região norte do Brasil, embora eu não conheça profundamente as comidas típicas do Acre. Vai demorar um pouco para eu conhecer boa parte desses 200 pratos. Mas aqui há umas receitas para eu começar a conhecer essa gastronomia que parece ser riquíssima! Muito bom o post, parabéns.

    Curtir

Deixe um comentário apreciamos sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 02/10/2015 por em Gastronomia e marcado , , , , , .
Follow Cinderelas Literárias on WordPress.com

Siga-me no Twitter

Instagram

Lançamento em jan 2018!!!!! #juliaquinn #editoraarqueiro  Primeiro livro da duologia Irmãs Lyndon

SINOPSE: Considerada a “rainha dos romances de época” pela Goodreads, Julia Quinn já atingiu a marca de 10 milhões de livros vendidos.

Mais lindo que a lua, primeiro livro da série Irmãs Lyndon, é uma história irresistível sobre reencontros e desafios, romantismo e perseverança.

Foi amor à primeira vista. Mas Victoria Lyndon era a filha do vigário, e Robert Kemble, o elegante conde de Macclesfield. Foi o que bastou para os pais dos dois serem contra a união. Assim, quando o plano de fuga dos jovens deu errado, todos acreditaram que foi melhor assim.

Sete anos depois, quando Robert encontra Victoria por acaso, não consegue acreditar no que acontece: a garota que um dia destruiu seus sonhos ainda o deixa sem fôlego. E Victoria também logo vê que continua impossível resistir aos encantos dele. Mas como ela poderia dar uma segunda chance ao homem que lhe prometeu casamento e depois despedaçou suas esperanças?

Então, quando Robert lhe oferece um emprego um tanto incomum – ser sua amante –, Victoria não aceita, incapaz de sacrificar a dignidade, mesmo por ele. Mas Robert promete que Victoria será dele, não importa o que tenha que fazer. Depois de tantas mágoas, será que esses dois corações maltratados algum dia serão capazes de perdoar e permitir que o amor cure suas feridas? Novo romance da Christina Lauren! Louca para ler! Gostei muito desta história! Totalmene surpreendente! #romancedeépoca #juliaquinn #arqueiro Muitos Hp Trinity College Library
Design by Patrícia
%d blogueiros gostam disto: