Cinderelas Literárias

Mulheres espalhadas pelo Brasil, que amam livros principalmente…

Literatura Infantil e Faixas Etárias

Por Patrícia.

Juventude-esta-lendo-mais (1)
Como educadora e mãe posso afirmar que a criança escolhe um livro por diversos motivos: as ilustrações da capa, as cores e mesmo os interesses que chamem sua atenção. Tal como um adulto, a leitura, para ser aproveitada pela criança, ou como chamamos: a leitura de fruição (para o prazer que criará o deleite do leitor) é intrinsecamente pessoal, e não pode ser baseada apenas em indicações para faixas etárias ou áreas de interesse.

No entanto, para o mercado editorial, há a necessidade de direcionamento para determinar a produção. O livro, nesse caso é uma mercadoria avaliada de acordo como qualquer outra.

Sendo assim, há uma preocupação cada vez maior nesse sentido no Brasil, e como mercado crescente, resultado do oferecimento de bibliotecas mais variadas pelas escolas e pela preocupação de pais em tornar seus filhos leitores (mesmo como opção para presentear em datas especiais), há uma oferta maior de autores e obras, o que resulta em ações de marketing e de direcionamento etário mais efetivos.

As fontes de estudos neste sentido ainda são limitadas, mas há um consenso de que a Literatura Infantil é um gênero que pressupõe a arte, convidando a criança a conhecer a beleza da língua escrita e desenvolvendo nela o gosto literário, ao mesmo tempo contribuindo para seu crescimento e desenvolvimento emocional.

Manuel Bergström Lourenço Filho (1897-1970) foi um dos primeiros estudiosos a considerar a divisão em faixas etárias para classificar os livros infantis, sob o ponto de vista da psicologia. A divisão sugerida por Lourenço Filho (1943), é uma divisão de ordem prática que sugere:

a) álbuns de gravuras, coordenadas por um só motivo, ou não, com reduzido texto, ou

ainda sem texto, para crianças de 4 a 6 anos;

b) contos de fadas e narrativas simples (fábulas, apólogos) para crianças de 6 a 8

anos;

c) narrativas de mais longo entrecho, para crianças de 8 a 10 anos;

d) histórias de viagens e aventuras, para crianças de 10 a 12 anos;

e) biografias romanceadas, idem.

Atualmente, mas ainda baseadas na psicologia, especialmente nos estágios de desenvolvimento pelos quais as crianças constroem o conhecimento, determinados nos estudos de Jean Piaget (1896-1980), as faixas etárias continuam direcionando qual o livro é indicado para a criança de acordo com sua idade e estágio em que se encontra.

No quadro seguinte, retirado dos estudos de Ana Mariza Ribeiro Filipousky, podemos perceber as características dos estágios do desenvolvimento, propostos por Piaget, e suas possíveis aplicações à leitura e, uma clara referência a como o mercado editorial se baseia ao dividir e classificar a Literatura Infantil direcionando-o ao seu público.

Sem título

Quadro retirado de Filipousky (1982).

A relação entre idade, estágio de desenvolvimento da personalidade e desenvolvimento da leitura, apesar de compreensível sob o ponto de vista do mercado editorial que precisa direcionar o seu produto ao leitor, ao mesmo tempo pode distanciar  a criança da leitura prazerosa, que é como acredito que deva ser a leitura infantil.

Nortear e não restringir acredito que é uma boa medida para pais e educadores, que devem propiciar às crianças o direito a escolher e de ter variedade neste momento, sem delimitar gêneros ou tirar-lhe possibilidades.

images

Crédito das imagens: escrevendoofuturo e gazetasetelagoana

Referências Bibliográficas

FILIPOUSKI, Ana Mariza R.; ZILBERMAN, R. . Sugestões de leitura para os alunos de 1º Grau. PORTO ALEGRE: GRAFICA DO ESTADO R.S., 1982. 60p.

LOURENÇO FILHO, Manuel Bergström. Como aperfeiçoar a literatura infantil. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, n. 3, v. 7, p. 146-169, 1943.

PIAGET, Jean. A Linguagem e o Pensamento na Criança. Trad. Manuel Campos. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1959. 307 p.

Anúncios

Deixe um comentário apreciamos sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 10/10/2015 por em Literatura, Novidades e marcado , , , .
Follow Cinderelas Literárias on WordPress.com

Siga-me no Twitter

Instagram

Lançamento em jan 2018!!!!! #juliaquinn #editoraarqueiro  Primeiro livro da duologia Irmãs Lyndon

SINOPSE: Considerada a “rainha dos romances de época” pela Goodreads, Julia Quinn já atingiu a marca de 10 milhões de livros vendidos.

Mais lindo que a lua, primeiro livro da série Irmãs Lyndon, é uma história irresistível sobre reencontros e desafios, romantismo e perseverança.

Foi amor à primeira vista. Mas Victoria Lyndon era a filha do vigário, e Robert Kemble, o elegante conde de Macclesfield. Foi o que bastou para os pais dos dois serem contra a união. Assim, quando o plano de fuga dos jovens deu errado, todos acreditaram que foi melhor assim.

Sete anos depois, quando Robert encontra Victoria por acaso, não consegue acreditar no que acontece: a garota que um dia destruiu seus sonhos ainda o deixa sem fôlego. E Victoria também logo vê que continua impossível resistir aos encantos dele. Mas como ela poderia dar uma segunda chance ao homem que lhe prometeu casamento e depois despedaçou suas esperanças?

Então, quando Robert lhe oferece um emprego um tanto incomum – ser sua amante –, Victoria não aceita, incapaz de sacrificar a dignidade, mesmo por ele. Mas Robert promete que Victoria será dele, não importa o que tenha que fazer. Depois de tantas mágoas, será que esses dois corações maltratados algum dia serão capazes de perdoar e permitir que o amor cure suas feridas? Novo romance da Christina Lauren! Louca para ler! Gostei muito desta história! Totalmene surpreendente! #romancedeépoca #juliaquinn #arqueiro Muitos Hp Trinity College Library
Design by Patrícia
%d blogueiros gostam disto: