Cinderelas Literárias

Mulheres espalhadas pelo Brasil, que amam livros principalmente…

Resenha: Porque fechei os olhos “E se vc descobre que ainda nao é o fim?” De Juliana Mendes

Por Débora.

12584020_1707780639479414_867675398_n

Primeiramente quero falar como foi difícil, pra mim, fazer essa resenha. Passei cinco horas pensando, escrevendo, apagando, ao final tinha escrito duas resenhas, que em sua essência diferiam muito pouco uma da outra. O problema era que eu queria falar sobre minha visão geral do livro, sobre o quanto ele estava bem desenvolvido, o quanto a história era envolvente (de forma que não consegui larga-lo até que tivesse terminado de ler a última linha), sobre o gancho que foi muito bem utilizado, fazendo com que fosse criado uma expectativa para uma continuação… enfim, queria ter escrito o que escrevi agora, mas na resenha, só que sempre que eu começava a falar sobre a personagem principal, tudo me fugia da mente, só apareciam informações sobre ela, e por mais que eu apagasse, bebesse uma água, não conseguia escrever o que eu queria, tudo voltava à ela. Veja bem, eu sabia quais informações precisava colocar no texto (aquelas ali acima) mas não conseguia inseri-las de forma harmoniosa, como gosto de escrever, misturando-as com informações sobre os personagens. Até que, após desistir e desabafar em minha página do facebook, vejo o comentário da autora dizendo que queria lê-las. Enviei então minhas resenhas para ela, que sugeriu que eu as unisse, acabando por fim, sendo ela mesma quem me reenviou as resenhas totalmente unidas. Agradeço imensamente à Juliana pela ajuda, pelo carinho, por ter se emocionado e me entendido, afinal, acredito que ambas fomos tomadas pela personalidade e profundidade dos sentimentos da Karen. E vamos a ela:

Resenha:

 

Quanto sofrimento o corpo e a mente podem aguentar antes de criar um mecanismo de defesa? É possível que, ao tentar se defender, mais sofrimento seja causado para si ou para outrem, sem que se perceba? Karen passou por perdas irreparáveis, e a culpa a corrói como um câncer, que ela mesma alimenta. Os sentimentos que carrega dentro de si a transformam de tal forma, que até a imagem que tem de si mesma é distorcida: a mulher linda dá lugar a uma mulher sem graça, sem nenhum atrativo, sem nada a oferecer, nem externamente, tampouco internamente. Acredita-se indigna de desfrutar da felicidade. É como se o sol tivesse sumido há anos atrás, deixando-a na escuridão, morta por dentro. Por sentir-se assim, não cultiva amigos, apenas um conseguira suportar seu mau humor, pessimismo e falta de alegria. Andrew é lindo, inteligente, saudável e, por algum motivo, nunca a abandonou, sendo seu pilar de sustentação, aquele que se preocupa se ela se alimentou ou não, que implica com seu mau hábito de fumar e o único que ela pode mandar à merda, caso pegue muito em seu pé. Em um dado momento, Andrew tenta tirar Karen do seu mundo cinzento trazendo-a para a sua luz e ela, assustada, o afasta. Algo terrível acontece com ele e, Karen, consumida pela culpa, faria qualquer coisa para ter tudo de volta aos eixos, realizando uma promessa que será difícil cumprir. Só não contava-se com a chegada o imprevisível Sr. Paul Newman, um cliente da empresa em que Karen trabalha, e que desde a primeira vez que o viu, sentiu algo como um choque em seu corpo. A atração entre os dois foi imediata e recíproca. Paul ignora as tentativas de Karen de afastá-lo ou de fazê-lo perceber que ela é somente uma casca, totalmente oca por dentro e com todo o seu charme, romantismo e magnetismo sexual, a cada dia retira um tijolo do muro que a rodeia, fazendo-a perceber a luz do sol e desejar ser feliz. É dificil se entregar à felicidade, mas Karen tenta. Tenta não ter medo do futuro, não ter medo de que algo ruim aconteça e lhe deixe somente o sofrimento, a amargura, a dor e a escuridão. Mas há algo no ar, um cheiro de mudanças e o imprevisível acontece. Daí, caro leitor, me dou conta do título do livro: Porque fechei os olhos: e se você descobre que ainda não é o fim? Bem, e se você descobre que ainda não é o fim, o que faz? Pula de cabeça, se tranca numa masmorra ou paga pra ver? Estou torcendo para que Karen pague para ver, que não regrida ao seu mundo escuro, que se houver tempestades, lute para ultrapassá -las e se forem momentos felizes, que aproveite até o ultimo segundo. Acompanhamos o desenrolar dessa história sem conseguir desgrudar de suas folhas. Torcemos pela felicidade de Karen, pois ela realmente merece o que a vida tem de melhor a dar, mas ao mesmo tempo ficamos aflitos porque parece que algo ruim está a espreita, que não é revelado neste livro. Posso estar vendo coisas onde não existem, mas achei que Paul tem uma personalidade um pouco doentia, apesar de ele ser um gato, lindo, maravilhoso, romântico, rico (mas que gosta das coisas simples) e fodástico na cama (não necessariamente somente neste local), mas só poderei saber se estou errada no próximo livro, que aguardo ansiosamente.

 

Sinopse:

“Minha vida acabou naquela tarde. Desde então não sei como ainda posso respirar. A única coisa que sou capaz de sentir é essa apatia que me mantém vivendo, um dia após o outro. Não consigo mais reagir a nada. Não consigo mais chorar. Olho ao meu redor e só enxergo escuridão, um breu sem fim, do qual não posso sair.”

Karen passou a vida enclausurada dentro de si mesma, fugindo de qualquer relacionamento mais íntimo com outra pessoa. O único com acesso à vida de Karen é Andrew, seu melhor amigo que, para conseguir permanecer ao seu lado, oculta seus verdadeiros sentimentos.

A vida de Karen é linear e previsível, até o surgimento de um cliente sedutor que, despretensiosamente, pode transformar seus sentimentos e sua visão de mundo. O perturbador Paul Newman tem o poder de desconstruir a barreira que Karen criou ao redor de si mesma, para se proteger do mundo e do amor.

Ao mesmo tempo, em uma reviravolta inesperada, um sentimento de culpa faz com que Karen prometa algo a Andrew que não sabe se poderá cumprir…

Neste jogo em que a vida apresenta diferentes escolhas, entre permanecer na escuridão do passado ou vislumbrar a possibilidade de futuro, terá Karen a capacidade de optar pelo desejo de viver novamente?

 

 

Ficha Técnica:

TÍtulo: Porque fechei os olhos: E se você descobre que ainda não é o fim?

Autora: Juliana Mendes

Páginas: 275

Gênero: Romance Erótico

Link para compra na Amazon AQUI!

Para comprar o Livro Físico: diretamente com a autora, através do inbox do facebook JULIANA MENDES ou pelo e-mail jumelopa@gmail.com. Valor de 36,00 e vai autografado, com marcador e ainda está na promoção do frete grátis.

 

 

 

 

Anúncios

3 comentários em “Resenha: Porque fechei os olhos “E se vc descobre que ainda nao é o fim?” De Juliana Mendes

  1. Diana Esther Alves Vieira
    04/02/2016

    Eu, particularmente, não gosto nenhum pouco de resenhar. Para fazer o que vocês fazem é necessário sensibilidade. Sua dificuldade inicial, Débora, denota sua sensibilidade e respeito pela obra e trabalho dos(as) autores (as). Faz isso de forma graciosa e responsável e passo a admirar vcs ainda mais por isso. Sou “encantada” pelas Cinderelas! Obrigada!

    Curtido por 2 pessoas

    • Débora
      17/02/2016

      Obrigada por nos acompanhar. E agradeço os elogios.

      Curtir

  2. Pingback: 5 livros que resenhei e indico. | Cinderelas Literárias

Deixe um comentário apreciamos sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 30/01/2016 por em Literatura e marcado , , , .
Follow Cinderelas Literárias on WordPress.com

Siga-me no Twitter

Instagram

Lançamento em jan 2018!!!!! #juliaquinn #editoraarqueiro  Primeiro livro da duologia Irmãs Lyndon

SINOPSE: Considerada a “rainha dos romances de época” pela Goodreads, Julia Quinn já atingiu a marca de 10 milhões de livros vendidos.

Mais lindo que a lua, primeiro livro da série Irmãs Lyndon, é uma história irresistível sobre reencontros e desafios, romantismo e perseverança.

Foi amor à primeira vista. Mas Victoria Lyndon era a filha do vigário, e Robert Kemble, o elegante conde de Macclesfield. Foi o que bastou para os pais dos dois serem contra a união. Assim, quando o plano de fuga dos jovens deu errado, todos acreditaram que foi melhor assim.

Sete anos depois, quando Robert encontra Victoria por acaso, não consegue acreditar no que acontece: a garota que um dia destruiu seus sonhos ainda o deixa sem fôlego. E Victoria também logo vê que continua impossível resistir aos encantos dele. Mas como ela poderia dar uma segunda chance ao homem que lhe prometeu casamento e depois despedaçou suas esperanças?

Então, quando Robert lhe oferece um emprego um tanto incomum – ser sua amante –, Victoria não aceita, incapaz de sacrificar a dignidade, mesmo por ele. Mas Robert promete que Victoria será dele, não importa o que tenha que fazer. Depois de tantas mágoas, será que esses dois corações maltratados algum dia serão capazes de perdoar e permitir que o amor cure suas feridas? Novo romance da Christina Lauren! Louca para ler! Gostei muito desta história! Totalmene surpreendente! #romancedeépoca #juliaquinn #arqueiro Muitos Hp Trinity College Library
Design by Patrícia
%d blogueiros gostam disto: