Cinderelas Literárias

Mulheres espalhadas pelo Brasil, que amam livros principalmente…

Cinquenta Tons de Cinza (Sem Tons di Vergonha) – E. L. “Hematomas” James, por Adriboa

Por Débora.

Gente, eu tinha que copiar pra vocês esse texto da Adriboa, ele é show demais, é longo, mas as risadas são garantidas, sugiro até que você leia alguns trechos pro marido, namorado, amigo ou pra vizinha mesmo. Só não vale ler de bexiga cheia, senão vai dar vazamento. Certeza!

Com a devida permissão dela, segue a resenha de Cinquenta tons de Cinza.

adriboa

Durante toda sua vida, Songa esteve com o nariz enfiado nos livros, por isso vive num perfeito conto de fadas bem longe do soca martela marreta do real conto de phodas. Sua experiência sexual foi adquirida por osmose da leitura de livrinhos “Florzinhas” e se resume a duas ou três bitoquinhas, dadas ao longo de toda a sua vida.

Pode-se dizer que ela jamais sentiu o prazer do toque ousado de uma língua. Jamé deu uns “amassos” da hora. Never recebeu um carinhoso cafuné. Niente sentiu uma fungada no pescoço. Nunca levou uma gostosa chupada  no cangote. Resumindo: ela nunca botou reparo no tanquinho de um mermão ao vivo e a cores, quiçá chegou perto de tocar ou manejar a torneira de um Men di verdade.

Ela até tem conhecimentos científicos de que há uma caverna no lado de baixo do Equador e reza a lenda que lá habita um sôfrego, faminto e adormecido dragão. Por mais incrível que pareça, ela nunca teve a curiosidade de encontrar o caminho dos tijolinhos amarelos rumo à essa mata atlântica, uma vez que nem sonha sequer imagina como é explorar esse pantanal inóspito com promessas de phodas e delírios.
Seu único contato imediato com o dragão é durante o banho e mesmo assim só para lavar e higienizar as paredes internas da caverna. Pode-se dizer que ela nunca chegou perto dessa porta ou mesmo tocou a campainha e saiu correndo Seal gozando sozinha. Em nenhum momento passou por sua cabeça desbravar essa selva Amazônica em busca do pote de ouro dos orgasmos múltiplos ensandecidos.

Durante seus vinte e um aninhos, ela maturou no aguardo do tal príncipe encantando que lhe daria o tão prometido ziriguidum descrito nos livrinhos. Trocando em miúdos, a Songa é uma “Virgem in Conserva” e uma candidata perfeita para frequentar o caritó como uma verdadeira Carmelita Descalça de um Mosteiro di Papel.

Atualmente estuda feito louca pra se dar bem nas provas finais da universidade, pois seu sonho de consumo é ser graduada com louvor e se tornar a mais nova integrante literária da: “Sociedade dos Poetas Mortos di Papel”, nem que para isso tenha que fritar os miolos estudando every single day.

Sua bolha de sabão arrebenta e seu mundo vem abaixo quando Brechó, sua única e melhor amiga lhe faz um pedido irrecusável…

—Mermã hoje tenho uma entrevista com Touchscreen: o trilhardário gostosão tudibom pero um mano mucho escondidão, concorrente direto da Avon, Natura e Jequity. Com sorte espero descobrir o que fez dele o Men mais bem sucedido nesse mundinho corporativo di papel.

— Mas justo hoje estou me sentindo podre só o pó da rabiola devido a essa virose desgracenta do Caráaaglio. Só confio em tu mana, por isso vos pergunto… Pelo amor dos Deuses di Papel, tu vai no meu lugar? Quem sabe com seu charme Songa você consiga fazer um Touchscreen e arrancar todas as informações do mano pra mim?50 tons

—Amiga no way! Tu sabe que mal consigo trocar meia dúzia de palavras com um mano di verdade que dirá alguém dessa magnitude. By the way o Men mais famoso com quem fiz uma psicografia ops tetê-a-tetê, foi com os hominhos da “Sociedade dos Poetas Mortos di Papel”.

—Mermã em nome da nossa amizade e dos anos de hospedagem grátis… Diz que sim! Diz que sim! Diz que sim Caráaaglio!

Vendo que não tem remédio, Songa vai até o Brechó da amiga e pega uma muda de roupa uma vez que só tem trapos, aproveita e pega seu moderno carrão, pois seu fusca está a ponto de levar uma bala nas perigosas curvas das estradas di papel. De posse das perguntas cruciais, lá se vai a trouxa ops a Songa direto ao covil do lobo sem saber que está se dirigindo ao matadouro!

Quando dá de cara com Touchscreen e apesar de toda sua inexperiência seu queixo cai, pois nada, nada, NADA a preparou para a beleza latente e o poder pungente do mano. Sente a terra da caverna tremer e seu útero emudecer diante de sua delirantemente beleza ruiva.

Fica abismada ao saber que ele tem apenas vinte e sete anos de aparente riqueza e profunda avareza emocional. Sente-se ainda mais Songa diante do seu irresistível e sexy olhar cinza além do que, todo o conjunto vem acompanhado de um apetitoso body coberto por um terno de um milhão di dólares. Ele exala influência e transpira segurança por todos os poros e seu sex appeal delirante faz ela sentir sua primeira contração uterina.

O que ela sente quando ele lhe dá um aperto de mão Touchscreeen? Nojo? Asco? Aversão? Repugnância? Antipatia? O que? O que? O que? Me tira logo essa dúvida Caráaaglio! Of course que isso NUNCA aconteceria nem mesmo no mundo di Verdade que dirá no fantástico mundo Bob além da imaginação di papel.

Ela sente um fogo ardente varrer todo o seu body, o que lhe dá um violento choque de 220 volts direto e reto na sua caverna. Sente um pulsar descontrolado dos ovários e uma contração uterina tão forte que faz pulsar sua parte baixa, que diga-se de passagem ela nem sabia que existia, o que deixa apoplético e em estado de inanição o seu abestalhado dragão.

E já que estamos delirando num surto psicótico coletivo, logo ao tocá-la ele sente in the same time o mesmo ziriguidum, o que faz sua próstata convulsionar numa violenta revoada de urubus direto e reto no seu Cú…Eeeeca, que já está faminto e doido por essa mina! Cumé? Repitam comigo mermãs….

Paaaaaaaaaaaaaaaaaaapeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeel!

Abismada ela ouve uma voz interna nunca antes ouvida e que nem sabia que existia. Ouve o grito da mina e descobre em Sybil uma nova amiga e sabe que a partir de agora não estará mais sozinha…

—Ohhh Mermã! Que Men gostoso do Caráaaglio!

Se ela ainda tinha alguma dúvida, Sybil a convence de que esse Men além da imaginação é de estremecer, arrasar, aniquilar o nosso fiofó, BackDoor e Cú…Eeeeca, confesso que ele é de abalar Bangú.

Como desgraça pouca é bobagem, o mano ainda tem charme, prestígio, fama e a carteira recheada de grana like Eike Batista. Diante de tanto tesão, o clima fica ainda mais tenso e constrangedor por eles se tratam formalmente de… Srta Songa pra cá… Sir Touchscreen pra lá! Nisso ele pede pra mina…

—Mermã posso te pedir um favor? Dá pra parar de morder a boca? Isso está me deixando doido pra abocanhar e devorar os lábios da Songa. Depois não vai reclamar se eu cair di boca chupando os beiços di mel da mina!

Ao ver que ela não se interessa, não conhece ou dá importância a sua fama, muito menos imagina a quantidade estratosférica de dígitos da sua polpuda conta bancária. Touchscreen percebe que a mina não tem a noção exata do seu incomensurável patrimônio pessoal. Tudo isso aliado a sua inocente alienação desperta no mano um interesse incontrolável e uma fome voraz, que estava escondida no mais fundo recôncavo baiano do Cú…Eeeeca desse mermão que agora está totalmente di quatro pela Songa da mina.

—Mermã eu já te disse… P.A.R.A. de morder seus beiços di mel! Isso me faz ovular e o pulsar está fazendo a minha próstata pular mais que cabrito montanhês. É pedir muito Caráaaaaglio?

Sem graça e totalmente constrangida, ela nem se toca das perguntas indigestas escritas por sua doidivanas e destemida amiga. Como verdadeira desajustada social e quase engolindo os beiços, demonstra ter dois pés esquerdos ao fazer as perguntas feitas por Brechó…

—Mermão… Tu é gay? Tu é gay que eu sei!

Deixa ver se a Adriana entendeu direito essa parada pra lá de sinistra… A goiabinha ops a pobre mocinha ingênua, encalacrada, atrapalhada e uma “Virgem in Conserva” que não sabe o caminho das Índias nem se a gente lhe der as coordenadas GPS, atrai e deixa a ponto de bala o cuore do mundano mocinho trilhardário gostosão tudibom super hiper mega plus e o conquista apenas com um simples Touchscreen do seu charme Songa?

Cumê? Um Men dessa estirpe desse naipe e com toda essa magnitude na real life é claro que teria não uma mais várias Piriguetes atrás, na frente e ao lado prontas para deitar, rolar e se fingir de morta, mas como estamos falando de um mundo paralelo além da imaginação, of course que no momento o Men está alone, sozinho, largado e solitário sem a companhia de nenhuma moglie di papel ao seu bel (cinco contra um) prazer?

Confesso que diante de tanto charme e tantos dígitos na conta bancária até a trouxa da Adriana de livre e espontânea vontade, seria voluntária para prestar esse tipo de “serviço” Touchscreen pro mano. Não tenho como esconder que ficaria de muito bom grado presa, forever and ever na casinha cheia de luxo garbo riqueza e elegância do mermão, levando (diante de tanto dinheiro) as agora “deliciosas” chibatadas no lombo da Boattini.

Ela já não consegue mais fazer ouvidos mouros a Sybil agora sua mais nova e inseparável amiga, que grita ensandecida diante de tanto tesão ao seu pé do ouvido…

—Pelo amor de Deus! Dá logo uma chave de coxa no Men!

De repente como um verdadeiro perseguidor, Touchscreen começa a aparecer em tudo quanto é lugar onde a mina está. Confesso que até esse momento a Adriana ainda estava na dúvida se seria Songa ou Brechó a mocinha da estorinha.

Para confirmar fiquei no aguardo do primeiro contato Touchscreen no Brechó da amiga porque venhamos e convenhamos Boattini, com uma mina tão Songa e sem graça ainda mais se comparada a sua rica, bonita e encantadora amiga que é um modelo de beleza, desenvoltura, charme e elegância, ela mais parece uma Songa de um Brechó de quinta, mas como estamos falando de um livrinho de ficção científica é claro que é a Songa que faz o contato imediato no cuore de Touchscreen.

Paaaaaaaaaaaaaaaaaaapeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeel!

Agora me diga… O que a histérica Sybil grita no seu ouvido?

—Chá de vulva! Dá logo um chá de vulva pro Men!

Conversa vai… Conversa vem… Apesar de Songa, ela percebe que Touchscreen é fissurado por controle tanto na vida pessoal quanto na profissional. Ele quer de tudo quanto é maneira saber os passos e a direção que seus funcionários, escravos, subalternos, amores, tesão, paixão, Piriguete ou Songa dão.

Eles formam o casal dos sonhos idealizado por qualquer socialista, pois ela é pobre pobre pobre de marré marré marré e ele é rico rico rico de marré de si! O cara é tão trilhardário que a leva para jantar do outro lado do país pilotando o próprio helicóptero. Nessa hora confesso que a Adriana ficou roxa de uma inveja bem preta, que infelizmente pintou de negro o cuore invejoso da Boattini.

Tenho que admitir que ela até tenta resistir ao fascínio, mas Sybil não a deixa esquecer o naipe do mano muito menos o tesão que é esse mermão, ela quer right now sair da condição de “Virgem in Conserva”…

—Puuutaaa Quuueuuu Paaariuuu! Pelo amor di Deus! PARA de miguela essa mixaria! Dá logo um duplo mortal twist carpado e cai di boca no Caráaaaglio desse Men, pois estou doida pra tirar esse lacre pra lá de enferrujado!

Ao perceber que o desejo dela é diretamente proporcional ao dele, ele cede ao desejo mais avisa que antes de qualquer passinho na dança do crioulo doido, primeiro ela vai ter que conhecer seu playground particular para ver se aceita ou não ter uma noite de terror no Playcenter.

Comunica que não é adepto ao embalo do dois-pra-cá dois-pra-lá do arroz com feijão sexual. Nananinanão! Confessa que entre lençóis ele gosta mesmo é do sado de uma buchada de bode e do masoquismo de um baião-de-dois, regado a muita chicotada lógico que no lombo da mina.

Quando ela adentra ao quarto revestido de couro de cima a baixo e cheirando a pele de vaca, ela percebe que lá não tem nem um ou dois Bob’s Vibrator. Nananinanão. O mano tem uma coleção completa de consolo, chicotinho, salto alto e tudo o que há de mais horripilante nesse fantástico mundo obscuro da phoda ensandecida, pois os apetrechos são dignos da exposição de uma feira de terror de um Sex Shop.

Confesso que ao ler a descrição do quarto o primeiro pensamento da Adriana foi… Quem? Quem? Quem? Quem vai limpar esse recinto? Quem vai enxugar o mar de girinos? Quem vai passar Bom Ar para tirar o cheiro de phoda no ar? Quem vai lustrar o couro até ficar retinindo de tão limpinho? Ixalá! Graças a Deus que não sou eu, pois confesso que a Boattini não tem estômago nem tripas para limpar esse Caráaaglio! Eca eca eca mil vezes eca. Arghhhhhh!

Agora me diga… Qual seria a reação esperada de uma “Virgem in Conserva” diante de tanto bagúio e tamanha ousadia? O que ela pensa ao ver tanto entra que muitas vezes não sai no Cú…Eeeca? Ela sai correndo? Vomita até expelir as tripas? Grita ensandecida… Sai de retro Satanás?

Adriana acho que tantos tons de hematomas estão começando a embaralhar a mente da mina! É claro que ela circula pelo quarto com cara de paisagem, como se estivesse diante de uma loja de doces admirando as guloseimas expostas na vitrine, saltitando lépida e faceira pelo recinto…

—Que que é isso? Onde se usa aquilo? Que buraco se enfia isto? Cumé que se manipula aquilo? Onde se soca isso? Como se martela isto? Puutaaa Quuueuuu Paaariuuu! Credo! Onde se marreta aquilo?

Vou ter que admitir, mesmo já tendo degustado alguns livrinhos desse naipe, caso fosse com moi, te garanto que a Boattini já estaria rouca de tanto gritar apavorada, fugindo como se estivesse sendo perseguida pelo Jason em plena Sexta Feira 13.

Vocês acham que ao dar de cara com esse Playcenter, a lazarenta aqui vos fala iria deixar esse mano, por mais rico e famoso que fosse, apresentar e introduzir a mermã nessa noite do terror no Playcenter usando e enfiando os apetrechos do quarto do horror nimim? Nem Phodendo!

Após uma casta bitoquinha, o mano avisa que para ter o sabor do soca martela marreta al dente ela terá que assinar um contrato de autorização di phoda ensadecida, onde esse lhe dará plenos poderes de uso capião e de invasão do sem terra na caverna, no Cú…Eeeeca ou qualquer buraco que ele  por ventura quiser ocupar ou desbravar. Antes da leitura ele avisa para Songa…

—Só depois do contrato assinado é que eu vou lhe usar!

Diante de uma promessa tão atraente, lá se vai a Songa ler o tal… Contrato de Escravidão com 50 tons di Hematomas Garantidos

Parágrafo 1 – A partir de agora Songa passa a ser designada Songamonga, está se compromete a obedecer irrestritamente todo e qualquer pedido sexual do seu agora designado Oh Captain my Captain! A mesma deve mostrar entusiasmo, interesse e nunca, nunca, NUNCA questionar qualquer pedido de Phoda… Quando, Onde ou Como eu quiser, por mais insano que isso possa parecer.

Parágrafo 2 – Songamonga deverá dormir sete horas every single night, a menos que esteja a serviço do seu Oh Captain my Captain e a demanda da caverna for exigida.

Parágrafo 3 – A Anoréxica comerá os alimentos listados e se compromete a comer TODA a comida do prato além de fazer as refeições nas horas marcadas. Fica terminantemente proibida de comer entre refeições, mas caso o faça, só lhe será permitido degustar frutinhas.

Parágrafo 4 – Durante o tempo de vigência do contrato, Songamonga só irá usar roupas de grife que seu Oh Captain my Captain aprovar que, diga-se de passagem eu mesmo irei pagar.

Parágrafo 5 – Para aguentar o tranco do soca martela marreta ensandecido, Songamonga terá um Personal Body quatro vezes por semana, ele irá preparar a mina para que ela tenha um fôlego de porco, a resistência de um camelo e o entusiasmo de um coelho.

Parágrafo 6 – Songamonga deve lavar a caverna every single day, além de derrubar toda e qualquer mata de pentelhos que por ventura venha a crescer na floresta da mina. Informo ainda que caso me dê na telha e eu queira mudar o layout do dragão, a mesma deve aceitar sem contestar.

Parágrafo 7 – A Songamonga se compromete a NÃO entornar nenhum copo de cachaça, fumar capim queimado, usar qualquer tipo de farinha di trigo, injetar qualquer espécie de detergente líquido na veia ou qualquer substância alotrópica que possa vir a fazer a mina pirar na maionese ou viajar na batatinha.

Parágrafo 8 – Que fique bem claro que Oh Captain my Captain terá exclusividade na dança do crioulo doido e caso Songamonga venha a sair da linha, a mesma será responsável por todo e qualquer ato insano que por ventura este vier a cometer.

Parágrafo 9 – Caso a filadaputa desobedeça ficará sujeita a qualquer castigo que Oh Captain my Captain achar adequado, o que pode ser… Bater, espancar, socar, amarrar, apedrejar entre tantos outros insanos castigos, mas pôde ficar tranquila que não vou mijar muito menos cagar na cabeça da Songamonga, pois não tenho o hábito de chutar cachorro morto.

Parágrafo 10 – Agora eu vos pergunto… O que exatamente a mina permite que seja feito no menu do Delivery de Drive Thru… Bebe girinos al dente? Faz uso capião na Caverna? O sem terra pode tirar o lacre da BackDoor? Bob’s vibrator é bem vindo? O que acha do Augustilhamento entre dragão e Cú…Eeeeca? Posso amarrar as mãos, desbravar Nabunda, explorar o body ou cutucar a Backdoor até a mina pular feito cabrito? Posso morder, socar, malhar, dependurar, abocanhar do jeito que o diabo gosta do jeito que o diabo quer?

Gente, gente, gente! Confesso que nessa hora a Adriana sentiu-se sufocar devido ao agarre da sacolinha plástica na cabeça da mina mesmo respirando cachorrinho. Estava certa que ia ter uma síncope tal a vontade insana de rasgar virtualmente esse livrinho! A faquinha de rocambole a muito perdeu a serrinha de tanto que foi enfiada no fundo do cuore da lazarenta, porque com certeza a mermã ia ficar cheia de E.L. “Hematomas” James.

O sangue subiu à cabeça e confesso que tive que parar de ler, pois já considero inadmissível alguém dizer que quer te bater quanto mais verbalizar que quer te apedrejar como forma de castigo. Agora querer se garantir colocando isso num contrato para ter o consentimento e o aval da vítima? A simples ideia embrulhou o estômago da Boattini ao imaginar que isso possa vir a ser verdade! Depois de passado o bloqueio mental, voltei a ler esse “deleite”…

Muito tempo depois eles finalmente vão para os finalmente e só então a Songamonga se alembra que tem um grande, big, enorme imbróglio de um problema al dente. Como? Como? Como a lazarenta vai contar para o mano que ela é uma filadaputa de uma “Virgem in Conserva”? Como sempre tudo é perfeito no mundo di papel, mas antes de tirar o lacre enferrujado ele avisa…

—Mermã quero deixar uma coisa bem clara, quando a gente se beijar, se abraçar, Seal phodê ou mesmo se devorar lembre-se… De jeito maneira a mina pode Touchscreen nimim, mas eu posso tocar e fazer o que quiser com você. Capice Bela?

—Zuzu…Bem! Cai di boca num duplo mortal twist carpado. Oh Captain my Captain!

—Songamonga se prepare, porque hoje eu vou lhe usar!

Apesar da promessa de cinquenta tons de insanidade sem tons di vergonha, ela aceita essa proposta indecente, mas graças aos deuses di papel não assina a bagaça do contrato. Para surpresa geral da nação, eles se deleitam em meio a um mar de uma delirante phoda baunilha. No afã de agradecer ela se esquece…

—Caráaaaglio mina! O que foi que eu te disse? Tu não me ouviu? Quantas vezes vou ter que repetir… NO Touchscreen nimim!

Confesso que durante a leitura dessa bagaça a Adriana acabou decorando um mantra que foi murmurado com intenso fervor… Não assina. Não assina. Não assina. Não assina. Puuutaaa Quuueuuu Paaariuuu NÃO ASSINA esse contrato do Caráaaglio Boattini!

Ele não só cuida dela com atenção e dedicação como ainda a mima e lhe dá a primeira edição de um livro caríssimo, roupas de grife, sapatos de marca, um iPhode 10, um computador made in NASA, um AUDI último tipo. Não pensem vocês que toda essa parafernália é para comprá-la. Nananinanão.

Tudo isso aliado as suas inúmeras ligações e aos zilhões de eMail (discutindo a relação), são para ele saber o que ela está fazendo, onde e com quem está, ou seja, ele quer saber exatamente o que ela faz para poder ter um controlar total de todos os seus passinhos! Cadê o Mandato de Restrição pro Men?

Cumé? Se a mina concordar com o “Contrato de Escravidão com 50 tons di Hematomas Garantidos”, a Adriana vai ter direito a tudo isso? Marilda pelo amor de Deus me ajuda… Onde é mesmo que a Boattini assina, reconhece firma e autentica esse “maravilhoso” contrato di phoda?

Ele quer controlar até mesmo o seu mais ínfimo respiro, na primeira vacilada e no primeiro desviar dos olhos da Songamonga, ele mostra quem manda no barraco e lhe dá inúmeras palmadas que, para seu martírio, ainda a obriga a contar o espancamento em voz alta…

—Um… Tablefit! Dois… Tablefits! Três… Tablefits… Buah… Dez… Tablefit… Buah… Doze… Buah… Buah… Buah… Tablefits!

—Mais alto que não estou ouvindo! Quer que eu comece tudo de novo? A mina quer apanhar mais duro Caráaaglio?

—DE… Buah… ZOI… Buah… TO… Tablefits Buaaaaaaaaah!

Jesus me acuda! Adriana sai agora mesmo right now da janela senão a mermã pode cair, se machucar e se esborrachar! Pelo amor di Deus mermã… Não pula! Não pula! Puuutaaa Quuueuuu Paaariuuu! Eu disse… NÃO PULA que eu não posso viver sem a mina na vida da Boattini Caráaaaglio!

Como desgraça pouca é bobagem, antes de ir embora o desgracento ainda tem a coragem e a ousadia de dizer pra essa Songamonga…

—Chora na cama que é lugar quente, mas antes não esqueça de tomar um Dorflex, um AAS, um Dipirona e uma Penicilina, ouviu bem? Pelo amor de Deus, não esqueça de tomar essa porra que amanhã eu quero você bem disposta porque eu vou lhe usar novamente!

Durante toda essa saga, Songamonga roda mais que frango de padaria e é mais amarrada que lombo em dia de festa, prato esse que o mano gosta de comer al dente com a mina gritando ensandecida…

—Enfia mais! Chupa mais! Bate mais! Tortura mais! Oh Captain my Captain! Ohhh Que Phoda controladora Delícia do Caráaaglio Men!

Confesso que até entendo a idolatria das “Adoradoras de Hematomas” por esse Men, pois do seu jeito Touchscreem é muy atencioso, extremamente cuidadoso. Ele tem tudo o que uma moglie quer num Men di verdade e de brinde totalmente grátis e ainda free, a lazarenta ganha por osmose passagens para lugares paradisíacos, jantares em restaurantes finos, eletrônicos último tipo, um carrão da moda, tudo isso regado a muito sexo ensandecido, pena que vem seguido de um zelo neurótico e excessivo além docontrole total cheio de chibatadas no lombo by Oh Captain my Captain!

Para a Adriana fica claro nas entrelinhas, que Touchscreem teve sérios problemas durante sua infância e na formação de sua personalidade sexual com graves falhas na adolescência, o que para a Boattini justifica a obsessão do mano por se cobrir e pelo controle total em amarrar e imobilizar a mina…

—Puuutaaa Quuueuuu Paaariuuu! Quantas vezes vou ter que repetir… NO Touchscreem nimim Caráaaaaglio! Capice Bela?

—Zuzu Bem! Eu fico di quatro! Oh Captain my Captain!

By the way… Agradeço a ajuda da Marilda na revisão final e em algumas dicas supimpa, o que fez seus Gambitos ficarem esfolados com Cinquenta Tons de Cinza o que acabou deixando a Custódio com muitos Tons di Hematonas.

_______________________________________

E quem quiser mais de Adriboa, acesse o site dela http://adriboa.blogspot.com.br/

 

Ficha Técnica:

 

Título: Cinquenta Tons de Cinza
Autora: E L James
Páginas: 480
Editora: Intrínseca
Ano: 2012
Assunto: Romance Erótico
Idioma: Português

Leia o primeiro capitulo do livro.

 

Anúncios

8 comentários em “Cinquenta Tons de Cinza (Sem Tons di Vergonha) – E. L. “Hematomas” James, por Adriboa

  1. janisedantas
    24/04/2016

    Desculpa nem consegui ler tudo.
    É um texto engraçado, até parece um Stand Up daquelas pessoas desesperadas para aparecer, que encheu a cara e fica falando, falando… onde a intenção é se desfazer dos outros, não importa se o outro é correto ou não. O importante é igualar todo mundo no nível inferior, porque isso é engraçado.
    Só que no meio disso tudo não vi tanta graça assim, quem sabe em outro texto.
    Bjoo

    Curtido por 1 pessoa

    • Adriana Boattini
      25/04/2016

      Humor é o sentimento que faz a Adriana rir daquilo que a deixaria louca de raiva se acontecesse com a Boattini. Afinal de contas, o mundo seria estranho se todos tivéssemos o mesmo senso de humor. Confesso a você que prefiro ouvir alguém contar piadas de humor negro a ter que ouvir alguém sem senso de humor algum. Já diziam os mais sábios… Senso de humor é que nem braço… uns tem… outros não!

      Curtido por 1 pessoa

      • janisedantas
        25/04/2016

        Adriana. humor para mim não é sentimento, mas estado de espírito. Talvez essa semana meu espírito não esteja lá muito risonho para as coisas escrachadas, pode acontecer.
        E eu também talvez seja um tanto burra, porque penso que todos possuem um abraço, até quem não tem braço, só o que falta é vontade de abraçar.
        No entanto, nunca faltará pessoas para rir e chorar com gente,digo virtualmente. E sempre haverá essa variedade humor e personalidade que dão ao mundo um colorido ímpar, que apesar de ímpar a gente sempre encontrará um par.

        Curtir

    • Débora
      25/04/2016

      Sério Janise!? Eu me amarro nos textos da Adriana Boattini e ri muito lendo esse texto dela. E gosto de 50 tons. Li ele umas 3 vezes, já do filme não gostei não.

      Curtir

  2. Adriana Boattini
    25/04/2016

    Débora…. Não sei como agradecer ao elevo das gentis palavras da Barroso! A Adriana se sente enaltecida pelo apreço e carinho com que a mermã se alembrou das escritas doidivanas da Boattini. Desejo que chovam Hominhos di Papel no colo dessas Cinderelas Literárias! Obrigada por colocar nóis na sua fita Men!

    Curtido por 1 pessoa

    • Débora
      25/04/2016

      Oi Adriana, obrigada por passar por aqui e nos prestigiar, e também pelos hominhos de papel, a Thayane e a Grazi estão precisando mesmo. hihihihi. Eu vi que agora teus textos estão em inglês também, tá chique demais. Bjos

      Curtir

  3. virginia carmo
    25/04/2016

    Resenha maravilhosa, Adriana, como sempre seu humor fantástico mostrando o lado absurdo de algumas situações. Adorei a parte de quem limpa o quarto da sacanagem, concordo com você: ecaaaa!!!kkkkkkk

    Curtido por 1 pessoa

    • Débora
      25/04/2016

      Oi Virginia, uma das partes que eu mais ri foi a do chá de vulva:

      – Chá de vulva! Dá logo um chá de vulva pro Men!

      Não consegui visualizar como seria esse chá, rssss. E o humor da Adriana é peculiar mesmo, nós que já estamos acostumadas sentimos falta quando ela não aparece com sua dose de humor esculhambado Não sei nem nomear esse humor dela, seria negroirônicoescrachado?

      Curtir

Deixe um comentário apreciamos sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Follow Cinderelas Literárias on WordPress.com

Siga-me no Twitter

Instagram

Legado de Sangue é um livro importante pra caramba para entender os novos episódios de STAR WARS.

Situada um pouco antes de O despertar da Força, a trama traz todo o foco para vida de Leia (<3) e mostra a trajetória que levou a Nova República a um colapso e resultou no surgimento da Primeira Ordem.

Além de apresentar todo esse conflito político, fala também de questionamentos pessoais da protagonista: seu casamento frustrado com Han Solo, o treinamento Jedi de seu filho Ben e a revelação de um dos maiores segredos da família que pode colocar em risco toda a sua credibilidade. Enquanto isso, em Londres...... Biblioteca na Alemanha
Design by Patrícia
%d blogueiros gostam disto: