Cinderelas Literárias

Mulheres espalhadas pelo Brasil, que amam livros principalmente…

Resenha: 172 horas na Lua de Johan Harstad

Por Van Nunes

12957226_579126255588304_1089345666_n

Sinopse:

O ano é 2018. Quase cinco décadas desde que o homem pisou na Lua pela primeira vez. Três adolescentes comuns vencem um sorteio mundial promovido pela NASA. Eles vão passar uma semana na base lunar DARLAH 2 – um lugar que, até então, só era conhecido pelos altos funcionários do governo americano. Mia, Midore e Antoine se consideram os jovens mais sortudos do mundo. Mal sabem eles que a NASA tinha motivos para não ter enviado mais ninguém à Lua. Eventos inexplicáveis e experiências fora do comum começam a acontecer… Prepara-se para a contagem regressiva.

van1

Resenha:

A NASA decide enviar uma expedição a Lua, mas como os investidores não fazem mais contato decidiram então fazer um concurso para selecionar jovens a serem astronautas, jovens com idade entre 14 e 18 anos.

van2

Antes da viagem, os três jovens passam por momentos… Hum… Irreais? Ilusórios? Reais? Aviso? Premonição? Não sei como descrever, até mesmo por que você só entende as razões no final, quando o quebra cabeças começa a se formar.

van3

A primeira parte do livro torna se um pouco mais chata já que precisamos entender o motivo pelo qual os jovens vencedores se candidataram ao curso e conhece-los melhor, confesso que a estória se arrasta. Eu não entendi por que a Mia ganhava mais “atenção” do autor, e confesso que demorei a entender o fato. E digo, prestem atenção por que não é fácil descobrir o real motivo.

van4

Midori, Mia e Antoaine se tornarão Astronautas em 3 meses? Ou seriam cobaias?

DARLAH2 foi construída em 1970? Mas… Onde raios estava o DARLAH1? O que será que a Nasa guarda a sete chaves? Explicando: A DARLAH 2 é constituída de módulos transportados até a lua por naves da Nasa. Quatro equipes de 6 astronautas, com a ajuda de buggies lunares e robôs altamente sofisticados, montaram a base durante o período de 5 anos entre o meio e o final dos anos setenta em um programa chamado DP7. A experiência foi mantida em segredo. A DARLAH 2 tem duzentos e quarenta e oito metros por noventa e seis metros, divididos em quatro módulos e um gerador de oxigênio.

van5

Definitivamente eu não esperava pelo que se seguiu e as explicações dadas. Afinal, a própria Nasa enviou civis para algo que somente eles tinham conhecimento. Claro, eles passaram por treinamentos. Além dos jovens astronautas, a equipe consiste em astronautas bem equipados e bem treinados. Mas adiantaria de algo pelo que os espera na lua? Depois deste livro, a frase: Houston, We Have a Problem tem outro significado para mim, e as botas de Neil Armstrong em seu tamanho 41 também. E mal sabia ele que ao dizer a frase: “Este é um pequeno passo para um homem, mas um gigantesco salto para a humanidade” depois de tantos anos faria sentido. Estudando um pouco mais sobre o assunto para fazer a resenha descobri uma frase que se encaixa total com este livro. O presidente na época Richard Nixon, quando o segundo astronauta pisou na lua disse: “Aqui os homens do planeta Terra puseram pela primeira vez os pés na Lua. Julho de 1969 d.C. Viemos em paz em nome de toda a humanidade”. Alguém se esqueceu de avisar a outrem sobre isso por que nem todos foram avisados do fato.

van6

O livro é narrado em 3 pessoa, e existe o antes, durante e após a expedição. O livro também consiste em personagens secundários, que fazem toda a diferença, mas como se passa na Lua, me pergunto se de fato são em segunda pessoa já que cada um deles carrega seu próprio segredo. Contém também imagens que servem para ilustrar e salientar as partes que precisam ser melhor explicadas, para que possamos entender a imagem de Delilah 2 ou outros mapas. Achei a ideia genial, e em dado momento foi necessário. Afinal, não são muitas pessoas que entendem módulos Lunares.

Algo que eu não entendi e ficou sem qualquer explicação é como eles vão passar um tempo no espaço sem qualquer tipo de alimentação? Sem saber se os equipamentos estariam em perfeito estado já que nunca foram usados? Outra coisa sem explicação é que Cinco outras missões tripuladas à Lua foram realizadas com sucesso pelos americanos, mas neste livro não foram relatadas. Explicando: A Darlah 1 é uma instalação militar da Nasa construída para a Força Aérea dos Estados Unidos em 1974. A instalação contem mísseis nucleares, cada um contendo o equivalente a 50 megatons de TNT. O que significa 3 mil vezes mais forte do que a bomba de Hiroshima. A Darlah 1 também constitui uma cápsula de evacuação, uma maneira de deixar a lua e voltar para a Terra caso algo desse errado, contendo espaço para apenas 3 pessoas.

van7

O final? Ainda não sei o que pensar dele, não foi bem o que eu esperava mas entendo que não existia explicação para coisas inexplicáveis. Achei algumas partes sem sentido e que o autor escorregou em muitos pontos, assim pontas soltas ficaram para trás. E em minha opinião, toda estória deve ter seu final e seus… Motivos explicados. Ele é daqueles que você fecha o livro quando termina e pensa: O que? Juntando os fatos irreais da viagem, forma-se 6EQUJ5, quer saber do que se trata? Eu também…

van8

E eu? Nunca mais verei a lua da mesma maneira.

van9

Ficha Técnica:

Livro 172 horas na Lua

Autor: Johan Harstad

288 páginas

Editora Nova Conceito

Ano 2015

Gênero literatura Contemporânea, ficção

Link para compra

 

Anúncios

Deixe um comentário apreciamos sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 02/08/2016 por em Literatura, Resenhas e marcado , .
Follow Cinderelas Literárias on WordPress.com

Siga-me no Twitter

Instagram

Valentina de Albuquerque descobriu muito cedo que não é nenhuma princesa encantada. Em vez de bailes e romance, tudo o que a jovem deseja é encontrar um jeito de viver com dignidade longe do pai e da madrasta, que tem como hobby fazer da vida dela um inferno. A oportunidade surge com uma proposta de casamento. Quase passando da idade de se casar, Valentina cogita aceitar. Seu coração não se alvoroça com o pretendente, mas ela não está à procura do amor. Seria um bom arranjo... se o capitão Leon Navas não cruzasse o seu caminho. O misterioso espanhol é mal-educado, irritante, atrevido — além de lindo —, e Valentina ficaria muito feliz se jamais voltasse a vê-lo. Mas o destino parece decidido a reuni-los, e, após um equívoco embaraçoso, ela está noiva de Leon, de quem pouco sabe, exceto que seu coração dispara toda vez que seus olhares se cruzam e que irritação não é o único sentimento que o capitão lhe desperta. Então Valentina sofre um terrível acidente. Assustada, porém disposta a provar que não foi um simples acaso, ela vai atrás do responsável. Entre suspeitas, disfarces, segredos e contratempos, a moça acaba sucumbindo à irresistível e devastadora paixão, sem se dar conta de que o perigo ainda está à espreita... Poderá uma garota nem um pouco encantada viver um conto de fadas e conseguir o seu final feliz? Eu 🙋🏼🙋🏼🙋🏼🙋🏼🙋🏼
Design by Patrícia
%d blogueiros gostam disto: